terça-feira, 29 de outubro de 2013



Existe  uma técnica muito famosa na cozinha mundial e comum para nossas avós. É a carne na lata, para os franceses, “Confit” (carne cozida na própria gordura). Essa forma de conservar a carne veio para o Brasil com os portugueses, muito usada nos tempos de colonização. A preparação é de véspera. Um dia para o tempero pegar e outros 15 dias para que a carne adquira um sabor bem característico. O ideal é que a carne seja consumida no mínimo 1 semana após ser preparada. Cada dia que passa ela fica mais saborosa e suculenta.

Ingredientes e modo de fazer:
2 quilos de carne - escolha coxão duro,  lagarto, costelinha ou carne de porco: inteira ou em pedaços.
Amassar 4 dentes de alho, 4 grãos de pimenta e ervas. 
Tempere com 2 colheres de sobremesa com o tempero mineiro de costume (aquele que a gente sempre tem pronto, guardado em um vidrinho.)

A pasta de tempero é espalhada por toda peça, junto com as ervas e pimentas à sua escolha. A carne deve ser coberta com um pano para descansar. Após duas horas, vai para a geladeira até o dia seguinte.

Depois de 12 horas, a carne vai pra panela e é dourada em um pouquinho de banha de porco. Depois de corada, cobrir a carne com banha (pode-se usar também a banha industrializada) e mais 1 litro de água e, quando entra em fervura, baixar o fogo. A carne fica pronta depois de 5 horas, cozida em fogo lento.





A carne é colocada em uma lata, do mesmo modo que os antigos tinham para guardar os alimentos. Aperte bem a carne e por cima ponha a banha do cozimento até cobrir. Depois, tampar a lata e deixar em local fresco, sem luz.

Quando for servir, cortar a carne em fatias e fritar até que a gordura derreta e a carne fique quente. Se o cheiro é inesquecível, o sabor é surpreendente.

Dica:  A lata tradicional pode ser substituída  por potes herméticos ou descartáveis. Porém, deverão ser cobertos em pano de prato, para que não deixe passar luz.


Dica para preparar a banha mineira:
Para quem não sabe, trata-se do óleo filtrado obtido ao se cozinhar a gordura do porco, solidificado ao esfriar; a pele que sobra é o que chamamos de torresmo. Compre no mercado de 2 a 3 k. de toucinho. Pique em pedaços e frite os torresmos com meio copo de água e sal grosso à gosto. mais ou menos uma hora e de vez em quando ele ia mexendo para não queimar, deixando fritar até criar muita gordura. Quando os torresmos estiverem douradinhos está ótimo. Fica muita gordura. Depois é tirar do fogo. Com uma espumadeira retirar os torresmos deixando escorrer bem para ficarem bem secos. A gordura que ficou na panela é a banha branca, coe 2 ou 3 vezes por um coador fino para retirar qualquer sobra do torresmo e ficar só a banha, colocar a banha em caixinhas e deixar solidificar.

Fonte-Aqui

0 comentários:

Categorias

Artigos mais visualizados

Seguir por Email

Facebook

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Contato

encontreipravc@gmail.com

Visualizações